Já está entre nós Tungstênio, a nova pedrada do Inquérito | Francamente

Já está entre nós Tungstênio, a nova pedrada do Inquérito

Blog | 04/04/2018

Tragédia dá like / me fala que eu posto

A vida é um selfie / ou ela é um sopro?

Pra uns é um saco / pra outros um soco”.

Esses são versos que compõem Vitrines, faixa nº 3 do sexto álbum de estúdio do Inquérito, Tungstênio.

Com 12 faixas, o disco conta com diversas participações especiais — 14 para ser mais exato. São elas: Pop Black, Rashid, Zeca Baleiro, Fernanda Dadona, Tulipa Ruiz, Diomedes Chinaski, Nicole, Myanda Guevara, MCK, Daniel Yokubá, Mato Seco, Coral Somos Iguais, Luís Travassos e a neozelandesa Lawn, que fez questão de cantar seu verso em Cafuné Com Caneta em português.

E esse não é o único feat. gringo no disco: MCK é da Angola; Myanda Guevara descende de Cabo Verbe e é nascida em Portugal, bem como Luís Travassos.

Já está entre nós Tungstênio, a nova pedrada do Inquérito - 2

O trabalho chegou para somar à discografia do grupo de Nova Odessa (SP) no dia 9 de março de 2018, e já está disponível em todas as plataformas digitais.

+ ASSINE NOSSA NEWSLETTER: Toda sexta-feira um resumo sobre a música na sua caixa de entrada.

Tungstênio pode ser considerado como a continuação com doses mais altas de melodia e arranjos (ao invés dos tradicionais beats boom-bap), de um trabalho iniciado em 2014, com o disco Corpo e Alma. Apresenta, de forma quase singular, rimas estrategicamente inseridas para incomodar o senso comum sem precisar apelar para o vocabulário culto. Muito pelo contrário: qualquer brasileiro é capaz de entender a essência de Artesanato Eletrônico 2.0, por exemplo.

A imprensa imprime / a jato de sangue / recarrega os cartucho a cada bang bang (…) A salvação é uma imagem na estante / Jesus virou marca de refrigerante”, grita a faixa.

As participações especiais foram muito bem pensadas para cada faixa, é visível (especialmente a de Zeca Baleiro, que soa como maior surpresa no trabalho).

Já está entre nós Tungstênio, a nova pedrada do Inquérito - 6

+ ASSINE NOSSA NEWSLETTER: Toda sexta-feira um resumo sobre a música na sua caixa de entrada.

Particularmente, ouvi Inquérito pela primeira vez em 2011, quando o Mudança (2010) já estava fazendo um certo barulho nas ruas. Rapidamente o inseri como um dos 10 discos mais importantes da minha vida.

Desde então carrego comigo o que áudios de whatsapp cravariam há quatro anos, na faixa Alma Lavada: “Inquérito é força e muita fé”; “Inquérito é vida na rima, vida na poesia, é muito rap, muito rap”; “Suas letras me dão informação e força pra lutar pelo que eu acredito”; “Inquérito é combustível pra vida”.

Tungstênio, como a faixa Barras de Ouro explica, significa resistência e está presente em quase tudo, inclusive no fiozinho da lâmpada que ainda ilumina a rotina de milhões de brasileiros, muito bem lembrados em Anônimos. Por fim, parafraseando a introdução em Coração de Camarim, Inquérito é uma voz carregada de revolta, e que ao mesmo tempo toca as cicatrizes mais sensíveis do nosso âmago.

Sobre o autor:

Vinícius Franco é jornalista, produtor e músico do Biblioteca da Memória
Siga no Twitter: @francamentevini
Siga no Instagram: @francamentevini

Comentários

Escreva um comentário antes de enviar

Houve um erro ao enviar comentário, tente novamente

Por favor, digite seu nome
Por favor, digite seu e-mail
Envie sua sugestão
Envie sua sugestão

Francamente

online

O que você gostaria de ver em nosso blog?